Blog

Como aliviar dores de cabeça e enxaqueca sem o uso medicamentos

Por Aline Souza*

Foto: D. Corson/ClassicStock/Corbis

Algo muito comum em nosso dia-a-dia, infelizmente, é a dor de cabeça (a cefaléia). Na verdade existem muitos tipos de dores de cabeça, onde as mais comuns são: a enxaqueca e cefaléia cervicogênica.
A enxaqueca (ou migrânea) apresenta-se com dor pulsátil e intensa que chega a causar náuseas e vômitos. Os sintomas costumam piorar com a claridade e o barulho. Normalmente a pessoa percebe que terá a dor: antes da crise ela vê manchas ou pontos luminosos e/ou sente cheiros diferentes. A causa da enxaqueca ainda não é bem definida (se teoriza que algum estímulo no nervo trigêmeo causaria liberação de substâncias que levam a dilatação de vasos sanguíneos que, em uma sequência de eventos, causaria um processo inflamatório com estimulações nervosas que gerariam as sensações pré-enxaqueca e causariam a dor e o mal estar típicos). Mas, o que se conhece bem são fatores desencadeantes, que podem ser desde alimentos embutidos (salsichas, linguiças) e bebidas (café, bebidas alcoólicas), até jejum, estresse e alterações hormonais (visto que é predominante no sexo feminino).
Leia também:
Ajustamento: a arma principal do quiropraxista
Hatha Yoga equilibra o sistema nervoso e o respiratório
Já a cefaléia cervicogênica é um tipo bem mais comum, e sua causa é associada à má postura, tensão muscular e disfunções nas articulações da cervical (pescoço). Esses fatores causam estímulos dolorosos que são enviados ao cérebro e entendidos como “dor de cabeça”.  Ela é, portanto, uma dor no pescoço, que é entendida pelo cérebro como uma dor “na cabeça”. Ela normalmente é menos intensa que a enxaqueca e “palpável”: é possível identificar (pegando ou pressionando) a área principal que dói e desencadeia a dor para outras áreas.
Enxaqueca e dor de cabeça é mais comum entre as mulheres. Foto: Klaus Tiedge/Corbis

Como a Quiropraxia trata disfunções neuro-musculo-esqueléticas, ela tem resultados muito bons no tratamento da cefaléia cervicogênica e da enxaqueca.  Em muitos casos uma disfunção articular é a causa da tensão muscular que inicia os sintomas (não adiantando apenas alongar, massagear ou tomar medicamento), então é preciso agir na causa: é necessária a remoção da disfunção por meio do ajuste feito pelo quiropraxista. A melhora então ocorre de dentro para fora: com o movimento normal da articulação há a normalização do tônus muscular, o que permite uma melhor amplitude de movimento do pescoço e favorece uma boa postura, diminuindo sensações dolorosas.
Pesquisas feitas por quiropraxistas e médicos (BRONFORT, 2001 e AUSTIN, 2002) demonstraram que os resultados obtidos com o tratamento feito pela Quiropraxia são compatíveis com o de medicamentos usados no tratamento destas dores. Isso mesmo! É possível a melhora destes sintomas sem o uso de medicamentos!
E lembre-se: a Quiropraxia sempre vai tratar o seu corpo como um todo para manter sua saúde em dia.
*Aline Souza é graduada em Quiropraxia e Terapia Manual Mioarticular pela Universidade Anhembi Morumbi. É especialista em técnicas de Quiropraxia como SOT (Sacro Occipital Thecnique),Thompson e complementares como ART (Active Release Technique). Participa frequentemente de cursos, atualizações e de congressos de Quiropraxia, sendo que este último foi o  Congresso Mundial de Quiropraxia que ocorreu no Rio de Janeiro em 2011. É filiada à Associação Brasileira de Quiropraxia (ABQ).
A terapeuta Aline atende no Espaço Kaizen, agende um horário através do telefone (11) 5523-0640 ou venha nos fazer uma visita em nossa sede na Rua Conde de Itu, 964.

Compartilhe

Pesquisar

Search
Generic filters
Categorias

Últimas do Blog

Categorias

Receba nossa Newsletter